Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Especialista em Madeira

Especialista em Madeira
           Conto por Aurelina Haydêe do Carmo

Uma amiga me ligou contando de uma palestra que ela presenciara.
O palestrante dizia que todos nós somos como uma madeira.
Ele discorreu sobre a utilidade  e a importância de certas madeiras.
Então fez a pergunta para que cada participante imaginasse como se fosse uma madeira e assim viajou em suas idéias  mirabolantes.

Ela ligou só para saber. Amiga! Imagina que você é uma madeira: Que madeira você acha que é?
Sem titubear respondi: CERNE, na hora lembrei da brincadeira de criança:
                   QUE PÁU QUE É ESTE ?
Todas as crianças gostaria de ser CERNE  - PÁU QUE INVERGA, MAS NÃO QUEBRA.

Ela indagou – me: Por que você acha que é CERNE?
Respondi: Eu sou aquele navio que encontrou muitas tempestades em alto mar, mas... cheguei ao porto, sã e salva. Acho que  o navio era de CERNE. Rimos bastante da nossa conversa. Desligamos  o telefone e eu fui terminar de fazer um bolo, ainda bem que não tinha colocado o fermento.

Fiquei pensando no CERNE.
Que serventia tem um CERNE?
“ Como estava fazendo o bolo, mas que depressa peguei o meu “AURÉLIO” (dicionário da Língua Portuguesa). Se eu ligasse o computador – babau bolo...

Vamos ao dicionário:
CERNE – Parte do lenho das árvores, no centro do tronco, formada de células mortas e substâncias nutritivas de reserva;  âmago.

Depois pesquisando sobre a madeira que achei que era,  ví que é o nº de CERNES que identifica a idade de uma árvore.

CERNE é ainda, no sentido figurado, o indivíduo que apesar de idoso se encontra forte e robusto ( é o meu caso) risos. Mas é verdade, acreditem...

Pesquisando mais a fundo descobri que as madeiras de lei apresentam dureza alta, pois provem de árvores mais longevas, com o CERNE bastante desenvolvido.

Concluindo: acho que já dei uma boa aula de CERNE.
Sob o aspecto comercial, entretanto, a madeira propriamente dita é somente o CERNE, em virtude das suas qualidades de resistência, durabilidade e beleza.

Comecei a enumerar as madeiras mais conhecidas – Andiroba,  Aroeira , Angelim, Cedro, Cedrinho, Cerejeira , Cumarú,  Faeira, Freijó, Goiabão, Imbuia, Ipê, Páu-d’arco, Peroba, Pinho, Sucupira, Macacaúba, Mogno, Pau – amarelo, Jacarandá, Maçaranduba etc...

Depois de muitas pesquisas sobre madeira, caí na real.
Será que estava preparando para uma “Tese de Doutorado” ou vou montar uma madeireira?


Uma coisa eu sei, sem muito esforço, virei uma Especialista em Madeira.
---
Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica: Quem não tem senha no Google/Gmail clique:
Comentar como: "Anônimo"
deixe seu nome, cidade e comentário.