terça-feira, 4 de abril de 2017

Eta calor

Eta calor
(Aurelina Haydee do Carmo)

 Este calor faz pensar num
banho refrescante meus amigos
Este calor é bem nosso, é fruto
da posição geográfica.

Espia-aí comadre, o cerrado em flor
Tudo seco na dança de roda as
folhas mortas
O sol tine, doendo os olhos
E o clarão fura a frincha das portas.

Olá comadre, mais alto, mais alto!
No repuxo do rio Cuiabá rolando paus
Batem na pedrinha 21 o tapa claro

Lá no alto uma nuvem escura
Parecendo que vai chover
Este calor é um batismo de orgulho:

Lava a cara, ensopa a roupa
Identifica a cidade onde eu nasci
Entre Chapada e o Pantanal.

Eu sou daqui, nao sou de fora...
Ouço meu grito, gritar na voz do
eco:
Cuiabana... bana... ana...

Comadre, enxuga a cara, coloca
o guarda sol.
Comedor de peixe e de maxixe
A procura de cachoeiras e lambaris

Que bem me faz a tua
companhia
Balançando na rede cuiabana
Oh! menina, pega o abanico e abana

Manga, caju, chico magro,
tarumã, piqui, pitomba
Frondosa mangueira.

Minha infância tem gosto de manga
Ela florescia e ventava sobre a
casa onde nasci.

A criançada brincava de amarelinha
Todas as noites na ciranda,
cirandinha
Que bem me faz poder recordar.
O calor invadia as casas
Janelas abertas, como um
convite a felicidade entrar.

Eu sou cuiabana, lá do Porto
Tomava banho no rio Cuiabá...

Não me importo se me chamam
de pé rachado
O que eu quero é comer mojica
de pintado
Bagre ensopado, cabeça de
pacu bem apimentado.

Para aumentar ainda mais este calor

Eta calor!


Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica: Quem não tem senha no Google/Gmail clique:
Comentar como: "Anônimo"
deixe seu nome, cidade e comentário.