sexta-feira, 17 de julho de 2015

Mas QUAL

-Mas QUAL.
Conto por Aurelina Haydêe do Carmo

Uma  árvore frondosa e copuda sem frutos ,quase tricentenária.  Em seus galhos pousava a passarada, em bando.

A sua sombra descansava – o picolézeiro, o vendedor ambulante de frutas e verduras. A rua também está ali, com quase 300 anos.

Olhando em frente também uma igreja, bem no alto do morro.
Na frente da igreja a imagem de um santo esculpido na madeira de lei.

Tudo ali é uma verdadeira história de CUIABÁ. É um museu no ar livre.
Ali, é passagem quase obrigatória de todos que vem do Coxipó rumo à cidade.
O trânsito fica muito congestionado. Paro, esperando o semáforo, dirijo o meu olhar para a direita. “QUE PECADO”!
A arvore frondosa e copuda tinha uma placa de flande pintada de branco com as letras pretas. VENDE-SE UM CACHORRO DE RAÇA PURA. Cor branca, falar com N... Telefone fixo 3622.... Cel 99...
Mas adiante estacionei o carro, pensei...que pecado! A placa estava grudada na árvore com três enormes pregos caibral.


Ah! se CABRAL( não o Pedro), o nosso PASCOAL MOREIRA CABRAL, tivesse visto, mudaria o seu nome de PASCOAL para MAS QUAL.(como diz o Cuiabano quando não gosta de uma determinada coisa). Ainda bem que não só eu vi, denunciaram e os órgãos competentes vieram e levaram a placa , tava tudo registrado foi fácil achar o malfeitor.
----
Conto por Aurelina Haydêe do Carmo
---
Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica: Quem não tem senha no Google/Gmail clique:
Comentar como: "Anônimo"
deixe seu nome, cidade e comentário.