terça-feira, 14 de janeiro de 2020

A complexidade do abraçar

A complexidade do abraçar


Abraçar é tentar encaixar-se em curvas diferentes das suas.

Abraçar é sentir outros tipos ritmos e batidas.

Abraçar é uma porta de entrada para universos desconhecidos.

Abraçar é caminhar respeitosamente com as mãos por territórios jamais tocados. Abraçar é um ato de troca de energias e vibrações.

Abraçar é respirar novos aromas e, às vezes, saborear novos paladares.

Abraçar é ouvir melodias sensíveis e inéditas.

Abraçar é falar aquilo que não se consegue dizer com palavras.

Abraçar é envolver-se com finos tecidos capazes de aquecer o corpo e a alma.

Abraçar é uma equação composta pelos mais variados sentimentos

Abraçar é viajar para o desconhecido, mas também é retornar à realidade sendo outra pessoa. Abraçar é libertar aos outros.

Abraçar é libertar-se a si mesmo.

Abraçar é algo sério, complexo e essencial.
Portanto, abrace, mas não abrace só o corpo, abrace o infinito que existe em cada um de nós.

Mateus Souza (Cientista Poético) Belém/PA


Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica: Quem não tem senha no Google/Gmail clique:
Comentar como: "Anônimo"
deixe seu nome, cidade e comentário.