Assista meu canal no Youtube

Loading...

terça-feira, 24 de abril de 2018

Lembranças que Mínguam

Lembranças que Mínguam
 Aurelina Haydêe do Carmo

O rio,
águas límpidas,
corria numa boa,
a ponte... cadê o arco?

Mercado do peixe – Hoje museu.
Casarões arquitetônicos,
a praça grande e sombria
parecia que era só minha.

O cais, os navios, a canoa,
cenário convidativo
para famílias ficarem numa boa,
lugar recreativo.

Não podemos esquecer o batelão.
Ea canoa louca.
Por que não?!
Gritávamos até ficar rouca.

Com medo de emborcar,
vai afundar!...
Furiosa a bambolear...
Rapidez em remar...

Ea cuia... com a vela?!
Onde estará o morto?
Logo ela revelará,
ou... a ribanceira levará.

Figuras folclóricas,
Rim... Coração e Língua!...
Vendedores de miudezas – históricas,

que dia a dia mínguam...

*Poesia Autoral: Aurelina Haydêe do Carmo
Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dica: Quem não tem senha no Google/Gmail clique:
Comentar como: "Anônimo"
deixe seu nome, cidade e comentário.