sábado, 8 de setembro de 2012

Olá meus queridos leitores, saiu esta matéria no Diário de Cuiabá. Edição nº 10625 27/05/2003

Professora contraria a regra

Da Reportagem

Dez anos de aposentadoria causaram efeitos marcantes na vida da professora Aurelina Aidê do Carmo, especialista em Antropologia e membro da equipe que realizou a pesquisa.

O início precoce na tarefa de lecionar lhe deu condições de encerrar a carreira com 46 anos, idade considerada o “auge” da produção intelectual de alguns profissionais. Mas, ao contrário do ocorre de forma freqüente no Brasil, a aposentadoria não foi o início de um período de estagnação e dificuldades. “Ninguém acredita que eu já sou aposentada. Quando as pessoas me perguntam como estou, sempre respondo: estou ótima, linda e maravilhosa”, diverte-se a professora, que mora com um filho em um apartamento pequeno na avenida Fernando Corrêa.

O segredo para tanta disposição e jovialidade, segundo ela, é a estrutura financeira e uma boa dose de “sorte” por não ter enfrentado problemas mais graves durante a vida. A remuneração razoável da aposentadoria é complementada por palestras e outras atividades remuneradas, como a costura. “Sempre fui independente e me organizei para não passar por necessidades. Hoje tenho uma vida ótima”, afirma. Com o dinheiro das atividades extras, Aurelina cria caixa para fazer o que mais gosta: viaja o mundo todo. Durante a semana, divide o tempo entre leitura, cursos, eventos sociais e festas. “Sempre me ocupo, nunca estou parada”, reforça a professora. (DP) 


link fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=140797

Agora vamos estender o nosso BOM DIA a Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e ao Mundo que neste momento esta precisando muito de um BOM DIA. Professora Aurelina Haydee do Carmo